Questo sito usa cookie per fornirti un'esperienza migliore. Proseguendo la navigazione accetti l'utilizzo dei cookie da parte nostra OK

Em que corpos pensamos quando falamos em Feminismo?, debate com Silvia Federici

Data:

08/11/2020


Em que corpos pensamos quando falamos em Feminismo?, debate com Silvia Federici

Tradicional por reunir poetas, escritores, pensadores e comunidade em um mesmo lugar, a Festa Literária das Periferias (FLUP) chega a sua 9ª edição repleta de novidades. Dessa vez, o Festival se reinventa, embarca no universo do streaming e rompe as barreiras geográficas propondo um diálogo importante não só para o Brasil. Esse ano, o evento acontecerá de 29 de outubro a 08 de novembro, com mesas acontecendo no Rio de Janeiro, mas também com debates em outras seis cidades espalhadas mundo.

Nesse contexto torna-se de extrema importância a colaboração com o Istituto Italiano di Cultura do Rio de Janeiro, responsável pela presença da filósofa, pensadora, professora e ativista feminista italiana Silvia Federici. Silvia participará dia 08 de novembro ás 19h do encontro Em que corpos pensamos quando falamos em Feminismo? com Yuderkis Espinosa e mediação de Silvia Capanema.

 

Silvia Federici

Cresceu na Itália e viajou para os Estados Unidos em 1967 para estudar Filosofia na Universidade de Buffalo.

Em 1972, Federici participou da fundação do Coletivo Feminista Internacional, organização que lançou a campanha internacional Wages For Housework (WFH) a favor do salário pelo trabalho doméstico. Com outros membros da organização como Mariarosa Dalla Costa e Selma James, e com autoras feministas como Maria Mies e Vandana Shiva, Federici tem sido instrumental no desenvolvimento do conceito de reprodução como chave para as relações de classe de exploração e dominação em contextos locais e globais, bem como no centro das formas de autonomia e os comuns.

Nos anos 80 deu aulas na Universidade de Port Harcourt na Nigéria, e foi cofundadora do Committee for Academic Freedom in Africa, organização dedicada ao apoio às lutas dos estudantes e professores da África contra os ajustes estruturais das economias e os sistemas educativos. Também é membro da associação Midnight Notes Collective.

De 1987 a 2005 foi professora de Estudos Internacionais, Estudos Femininos e Filosofia Política na Universidade Hofstra de Nova York, publicando uma série de trabalhos neste campo, incluindo o aclamado Calibã e a Bruxa: a Mulher, o Corpo e a Acumulação Primitiva (2004) traduzido em numerosos idiomas. O livro detalha a relação entre os julgamentos de bruxas europeias dos séculos XVI e XVII e a ascensão do capitalismo, destacando a relação contínua entre a opressão e a acumulação no desenvolvimento capitalista.

 

* * * * *

 

Realização:

Flup

 

Colaboração:

Istituto Italiano di Cultura do Rio de Janeiro

 

* * * * *

 

Flup 2020: Em que corpos pensamos quando falamos em Feminismo?, debate com Silvia Federici e Yuderkis Espinosa

 

Data: 08 de novembro de 2020

Orário: 19h

Lugar: Facebook e Youtube (Online)

Ingresso: Gratuito

Informazioni

Data: Dom 8 Nov 2020

Orario: At 19:00

Ingresso : Libero


1155