Questo sito usa cookie per fornirti un'esperienza migliore. Proseguendo la navigazione accetti l'utilizzo dei cookie da parte nostra OK

Ocupação Itália: Exposição 'Poética dos Espaços', de Umberto Nigi

Data:

10/09/2021


Ocupação Itália: Exposição 'Poética dos Espaços', de Umberto Nigi

O artista visual Umberto Nigi nasceu na Itália, mas é o que podemos chamar de cidadão do mundo. O trabalho como engenheiro levou-o a morar de forma temporária em países como Egito, Inglaterra, África do Sul e Croácia. Suas andanças pelo mundo incluem também o Brasil, onde, ali por fins dos anos 1990, fixa residência. O trabalho como engenheiro deu-se concomitantemente à sua entrega à pintura, iniciada nos anos 1960, e cuja carreira está próxima de completar 60 anos. Do estilo figurativo, mergulha, em meados de 1990, na arte abstrata, dedicando-se também às esculturas.

Parte significativa dessa produção será vista em Poética dos Espaços, a primeira grande mostra do artista, de 76 anos, no Rio de Janeiro. A exposição tem curadoria de Edson Cardoso e insere-se na Ocupação Itália (Occupazione Italia), iniciativa do Instituto Italiano de Cultura do Rio de Janeiro. Poética dos Espaços aporta no Centro Cultural Correios juntamente com outras duas mostras: Dell’Architettura: Investigação fotográfica sobre a influência italiana na paisagem carioca, de Aristides Corrêa Dutra, e Praças [In]Visíveis, também de fotos. 

A produção artística de Umberto Nigi divide-se entre duas fases: a figurativa, que marca seu Iniciou na pintura em 1963, e a abstrata, a qual dedica-se a partir da década de 1990. Vem dessa segunda fase o material de Poética dos Espaços. A mostra reúne um total de 52 obras, sendo 42 telas de grandes proporções e dez esculturas. Em ambas as obras, ele mescla os matizes das cores a materiais como madeira de demolição, cascas de árvores, areia, gesso e juta.

 

Umberto Nigi

Umberto Nigi nasceu em 1945, na Ilha de Gorgona, e costuma dizer que não teria como fugir da pintura tendo diante dos olhos a paisagem da Toscana. A região tem lá seus encantos, mas a vocação para a pintura pesou, e muito. O fascínio provocado pelas obras de Van Gogh (1853 - 1890) foi outro fator decisivo para a escolha. A mudança para Livorno, na adolescência, leva-o à pintura com mais afinco. E contou, para tanto, com um incentivo, ou algo próximo disso. Ali, passa a frequentar o ateliê de Renso Casali. O artista não era de muito papo e, por isso, o jovem Nigi inicia sua técnica mais por observar o experiente pintor do que por ouvi-lo.

A mosca azul da arte o havia picado. Nigi tinha então 31 anos quando, em 1976, participa da 2ª Bienal de Arte Naif. E isso chama a atenção de curadores e marchands para sua produção, tanto na Itália quanto fora dela. Num café em Roma, ele tem a atenção desviada para uma pilha de sacas. Elas traziam a inscrição Café do Brasil. Ele sequer imaginava que acabaria por estreitar laços com o país de onde vinham aqueles grãos, a ponto de viver nele em definitivo. Mais do que isso: ainda não sabia que a juta, o tecido do qual é feito o saco do café, seria usado na sua arte. Sim, mudanças estavam por vir.

A década de 1990 significaria um divisor de águas na trajetória de Umberto Nigi. Em dois sentidos. O primeiro é quando ele mergulha de cabeça na arte abstrata. Além de carregar nas tintas (e a expressão aqui não é mero lugar comum), passa a usar novos materiais. Tal mudança arrebata a crítica e dá à sua vida novas cores. A verde e a amarela são duas delas ...

Em 1998, o artista vem ao Brasil para executar um trabalho de engenharia. Volta, em seguida, a Europa, mas algo havia mudado, e não era só seu estilo. Após perambular pelo mundo, fixa residência no Brasil, mais exatamente em Belo Horizonte. É aqui também onde ele se aposenta e passa a dedicar-se à arte por inteiro. E ele segue criando, produzindo, perseverando no seu fazer artístico. Se a paisagem da Toscana era um convite à pintura, a do Brasil é uma intimação. E, para nossa sorte, Umberto Nigi não se faz de rogado.

 

* * * * *

 

Realização:

Istituto Italiano di Cultura do Rio de Janeiro

Centro Cultural Correios

 

Apoio:

Embaixada da Itália em Brasilia

Consulado Geral da Itália do Rio de Janeiro

UIA Rio 2021

 

* * * * *

 

Exposição 'Poética dos Espaços', de Umberto Nigi

 

Data: De 10 de setembro a 23 de outubro de 2021

Horário: De terça a sábado, das 12h às 19h

Onde: Centro Cultural Correios - Rua Visconde de Itaboraí, 20 - Centro, Rio de Janeiro (RJ)

Entrada: Gratuita

Informações

Data: DA Sex 10 Set 2021 a Sáb 23 Out 2021

Orario: Dalle 12:00 alle 19:00

Ingresso : Libero


Tags:

Arte

1204