Questo sito usa cookie per fornirti un'esperienza migliore. Proseguendo la navigazione accetti l'utilizzo dei cookie da parte nostra OK

Conversazioni d'Arte

Data:

16/05/2014


Conversazioni d'Arte

Giulio Paolini, Jannis Kounellis, Gilberto Zorio, Pietro Fortuna, e Stefano Arienti

Italia na Copa

Em “Conversazioni d’Arte” a autora e diretora Alessandra Populin apresenta cinco documentários monográficos que pretendem desenhar um mapa da pesquisa estética italiana trave do testemunho de alguns dos representantes mais eloqüentes de três gerações, do pós-guerra às atuais tendências. A arte italiana é de maneira muito especial repleta de pensamento e consciência teórica, e o formato do documentário, com a sua vocação promovedora, é uma grande oportunidade de conhecimento e reflexão sobre temas e processos criativos da arte. Serão representadas três gerações de artistas que possuem em comum, alem das próprias individualidades e diferenças, uma declarada vontade fundadora e a idéia de que a arte seja um momento essencial da nossa necessidade por conhecimento. A programação prevê a apresentação dos filmes (legendados) de Jannis Kounellis, Giulio Paolini e Gilberto Zorio, consagrados expoentes da arte pobre ao lado de Pietro Fortuna e Stefano Arienti, testemunhas de duas gerações, anos ‘80 e ‘90, que souberam desenvolver através de novos processos formais e ideais, a grande tradição da pesquisa artística italiana. No evento estarão presentes o artista Pietro Fortuna e Alessandra Populin, autora e diretora dos documentários. Pietro FortunaPietro Fortuna Pietro Fortuna nasce em 1950 na cidade de Padova, norte da Italia. Nos anos ’80 participou da XVI Bienal de São Paulo, da Galleria Comunale d’Arte Moderna de Bologna, da Ville Arson de Nizza, do Kunstler House em Graz, do Frankfurter Kunstverein e da XII Bienal de Paris. Nos anos ’90 realiza novos ciclos de obras com instalações e trabalhos em grande escala com os quais se apresentou no Palais de Glace de Buenos Aires, na Galleria d’Arte Moderna de San Marino, no Museo d’Arte Moderna de Bogotá, na Galleria Comunale d’Arte Moderna e Contemporanea de Roma, na Le Carré Musée Bonnat de Bayonne e no Museo Pecci de Prato. Nos mesmos anos funda a Opera Paese, um lugar para a cultura, onde se encontram importantes representantes da arte, da musica e do pensamento, de Philip Glass a Kankeli, de Pistoletto a Kounellis. De 2000 a 2013 seguem outras exposições pessoais no Watertoren Centre for Contemporary Art de Vlissingen, na XII Biennale Internazionale della Scultura de Carrara, no Tramway em Glasgow, na Fondazione Morra de Napoles, no Macro de Roma, na Marca de Catanzaro e na Quadriennale de Roma. Enfim são numerosas as colaborações com galerias particulares entre as quais a Massimo Minini em Brescia, o Studio Guenzani em Milano, a Nosei Gallery em New York, a Montenay - Delsol em Paris e em Roma na Giuliana de Crescenzo, na La Nova Pesa e na Giacomo Guidi.

Informazioni

Data: Sex 16 Mai 2014


717